Paulo Lorador

Entrevista

Nos fale um pouco de seu percurso atlético, acrobático ou artístico antes de começar a trabalhar para o Cirque du Soleil:

Eu praticava mão a mão (equilíbrio) com meu irmão Marco (nós somos de uma família de artistas de circo há três gerações).

  • Paulo Lorador
  • Portugal
  • Mão a mão
Quando você se reuniu à equipe do Cirque du Soleil?

Em abril de 1992.

Como aconteceu seu primeiro contato com o Cirque? Qual era o contexto?

Meu irmão e eu nos apresentávamos no festival internacional de circo de Monte-Carlo, quando o Cirque du Soleil entrou em contato conosco.

Nos fale sobre sua audição, formação ou oficina.

Como nosso número era muito especializado, não tivemos que passar por uma audição.

Como foi a sua integração (em Montreal ou a um espetáculo)?

Nós chegamos imediatamente antes da estréia de Saltimbanco e tivemos que fazer apenas algumas mudanças a nossos figurinos e à música.

Do que é que você gosta mais como membro do Cirque du Soleil?

As condições de trabalho, que são excelentes.

Como foi a transição de sua carreira anterior a seu papel atual no Cirque?

Nós não tivemos que viver nenhuma transição, pois já éramos artistas de circo. Simplesmente passamos a ter melhores condições de trabalho.

Por que você recomendaria a um artista de se tornar membro do Cirque?

É uma excelente companhia para se trabalhar.

Como é a vida em Las Vegas?

Eu gostei muito de fazer uma turnê, mas prefiro viver em Las Vegas.