André Simard

Especialista em pesquisa e desenvolvimento acrobático

  • André Simard
  • Montreal
  • Especialista em pesquisa e desenvolvimento acrobático

Verdadeiro ícone no universo das artes circenses, André Simard vem ao mesmo tempo do mundo do esporte de elite como ginasta, do mundo artístico como estudante de belas-artes, e do mundo das artes circenses como professor. Ele já treinou centenas de artistas e criou ou contribuiu para várias dezenas de números aéreos no Cirque du Soleil. Além disso, graças a um brilhante cruzamento destes três mundos, ele tem levado o trapézio em balanço a um nível muito elevado no plano internacional. Em 1987, ele criou para o show Nouvelle Expérience um número que iria revolucionar o movimento acrobático aéreo.

No início dos anos 1970, André desenvolveu uma carreira com a equipe nacional de ginástica do Canadá enquanto estudava no Instituto de Artes Gráficas de Montreal. Após ter participado de vários campeonatos do mundo, ele representou o país nos Jogos Olímpicos de Verão de Munique, em 1972.

Em seguida, André se tornou treinador nacional da equipe masculina canadense de ginástica e, ao mesmo tempo, ensinou noções de acrobacia a palhaços e artistas de rua no CIC (Centre Immaculée-Conception), em Montreal. O CIC foi sede da primeira escola de circo do Quebec o que levou alguns anos mais tarde à fundação da famosa Escola Nacional de Circo de Montreal.

Em 1987, André decidiu terminar sua carreira no mundo do esporte de elite para se consagrar inteiramente à sua nova paixão: o desenvolvimento de números acrobáticos e aéreos espetaculares para o mundo do circo. Durante quase uma década, ele treinou numerosos artistas na Escola Nacional de Circo de Montreal. Ele também foi convidado a ensinar fora do país (em particular, na Escola Nacional de Circo, na França), oferecer estágios e dar conferências no mundo inteiro. André colabora com o Cirque du Soleil há quase vinte anos e é membro de nossa equipe permanente de criação desde 1997.

Seu sucesso no universo do circo se deve muito à sua grande sensibilidade humana e artística e à sua capacidade excepcional de levar os artistas a se ultrapassarem no plano técnico. Além disso, e mais importante ainda, ele leva os artistas a transmitirem suas emoções aos espectadores.

Uma das maiores contribuições técnicas de André ao meio aéreo é a invenção, no início dos anos 1990, de um sistema de lonja segura que representou uma verdadeira revolução no mundo das acrobacias aéreas. Este sistema permite que o artista efetue acrobacias de um alto grau de dificuldade com um nível ideal de segurança e conforto. Esta contribuição técnica contribuiu muito para aumentar o nível geral de dificuldade acrobática dos números aéreos no mundo inteiro.

Aquele a quem as novas artes circenses devem a criação da disciplina do tecido aéreo, a criação de vários números aéreos para os espetáculos do Cirque du Soleil em cartaz atualmente no mundo. «O que me fascina mais no Cirque du Soleil são as possibilidades de inovação e o renovação constante», afirma ele.

Qual é o seu papel no Cirque du Soleil?
Eu crio números humanos acrobáticos, principalmente em movimento aéreo, para os novos espetáculos sendo criados.

Qual é a abordagem que o Cirque du Soleil privilegia em relação aos atletas?
Os atletas que se reúnem ao Cirque du Soleil possuem habilidades acrobáticas de todos os níveis. Eles foram formados durante anos como atletas e, ao vir ao Cirque du Soleil, buscam reorientar sua carreira para o mundo dos espetáculos. A abordagem de formação que privilegiamos junto a cada artista está ligada ao espetáculo onde cada artista evoluirá, isto é, está em função das idéias do diretor artístico e dos criadores como também da cenografia. Porém, mesmo se a prioridade é a apresentação do espetáculo, eu tento utilizar uma abordagem pessoal com cada artista e destacar a energia própria a cada um deles.

Como você descreve sua filosofia criativa?
Hoje, está cada vez mais difícil inventar um número aéreo completamente novo. A arte do movimento aéreo se espalhou muito no mundo inteiro desde há 15 anos e por isso várias avenidas já foram exploradas. A multiplicação das ferramentas de comunicação como Youtube, por exemplo, têm facilitado a troca de informações.

A criaç��o e a reinvenção estão de agora em diante voltadas mais ainda para a mistura, o amálgama, a reunião, a combinação de nuances que podem ser feitas entre as diferentes disciplinas. Está mais difícil encontrar uma idéia completamente original no mundo… Porém, no Cirque du Soleil, existem coisas novas atualmente em desenvolvimento que serão reveladas no futuro!

Como criador acrobático, como acontece a colaboração com o diretor artístico de um novo espetáculo sendo criado?
Todos os criadores, sejam acrobáticos ou artísticos, colaboram de maneira absoluta para chegar a satisfazer às exigências do diretor artístico. O processo de criação de um espetáculo começa sempre com um brainstorming onde tudo é possível. Mesmo as idéias que parecem mais ou menos realizáveis são bem-vindas. Nós levamos o processo de reflexão o mais longe possível a fim de ir ao máximo das possibilidades. Isto é algo crucial. Não é necessário fechar as portas, porém se deixar levar e embarcar na aventura conduzida pelo diretor artístico e o diretor de criação.

Qual o conselho que você daria a um candidato que sonha de participar da aventura chamada Cirque du Soleil?
É necessário demonstrar uma abertura total. Chegar pronto a se dar e a absorver. As possibilidades que o Studio de treinamento do Cirque du Soleil oferece são ilimitadas e as condições são excelentes. É somente uma questão de aproveitá-las!