Claude Chaput

Maestro, compositor e arranjador.

  • Claude Chaput
  • Montreal
  • Maestro, compositor e arranjador.

«Numa época onde a tendência do universo musical é a uniformização, a música do Cirque du Soleil permite ao contrário, a explosão das formas e dos estilos.»

Eu comecei a aprender piano muito cedo, desde a idade de quatro anos. Vivendo numa família que encorajava as artes, foi na adolescência que tomei a decisão de dedicar minha vida à música. Durante vinte anos, pude trabalhar como : acompanhante, arranjador e maestro tanto no palco , quanto no estúdio com artistas famosos. Ao mesmo tempo, desenvolvi um grande interesse pelas tecnologias de áudio e mídia, algo muito importante para o tipo de carreira que escolhi. Acredito que todos estes elementos reunidos me levaram naturalmente ao Cirque du Soleil em 1994 quando o compositor René Dupéré estava à procura de um maestro para o show Alegría.

 

Um choque positivo de vários pontos de vista…

Esta foi a primeira vez que me comprometi com um número de apresentações tão grande: mais de 600 espetáculos em dois anos. Não preciso dizer que neste contexto específico podemos alcançar um nível muito alto de interpretação musical além de adquirir um grande conhecimento das artes cênicas.

A união de músicos de estilos e culturas diferentes foi também um elemento muito formador, tanto no aspecto humano , quanto no plano musical. Isto é, enfrentar o perpétuo desafio de ajustar a música à ação no palco e, ao mesmo tempo, manter a coerência musical e uma pertinência sem falhas para o espectador.

Tinha então o sentimento de exercer meu trabalho como nunca antes, o que me deu vontade de começar um novo projeto de criação. Assim, ofereci meus serviços ao compositor Benoit Jutras com o qual aceitei de trabalhar em Quidam para uma outra turnê americana, dessa vez, mais de 1000 espetáculos em três anos. Em Quidam, introduzi uma tecnologia inteiramente nova mídia que nos permite alterar, em tempo real, as estruturas musicais a partir do material gravado previamente.

Desde 1999, participo de muitas produções como consultor em música e tecnologias e estou envolvido em diversas criações do Cirque du Soleil atualmente sendo produzidas, além de alguns projetos com o Casting.

A necessidade de criar, de ir sempre mais longe, onde ninguém ainda ousou levar seu espírito…

Em minha opinião, o Cirque du Soleil elevou as artes cênicas a um outro nível, a uma outra dimensão, a um espaço onde o sonho e o inconsciente são mestres. Existe nisso uma perfeita compatibilidade com o que é fundamentalmente o universo musical. E, numa época onde a tendência do universo musical é a uniformização, a música do Cirque du Soleil permite ao contrário a explosão das formas e dos estilos.

É por esta razão que o ecletismo e a abertura de espírito fazem parte das características procuradas num candidato que responde já a alguns critérios fundamentais como, por exemplo : a precisão rítmica, a justeza, o vocabulário musical e a memorização. Devemos a isto acrescentar também a capacidade de reagir rapidamente a qualquer mudança de última hora mantendo ao mesmo tempo a qualidade da interpretação. Por isso, é interessante que cada músico possa extrapolar em situações onde, por exemplo, temos que prolongar ou retirar drasticamente uma seção, às vezes, com apenas alguns compassos de antecedência.

Especificamente, durante o período de criação de um espetáculo, o maestro, os músicos e os cantores dão um som, uma identidade à obra musical pela sua interpretação e também por algumas soluções musicais que são muitas vezes fonte de inspiração para toda a equipe de produção. É inegável que a contribuição criativa de cada um faz uma enorme diferença no resultado final de um espetáculo dessa magnitude. Porém, não devemos perder de vista que existe um compositor que é responsável pela visão de conjunto e que ele se relaciona em primeiro lugar com o maestro para assegurar a coerência estilística durante todo o espetáculo.

No Cirque du Soleil, mais do que em outros lugares, o espírito de equipe, o profissionalismo e o respeito pelo trabalho dos outros são qualidades essenciais para viver inteiramente esta experiência única.