François Girard

François Girard iniciou sua carreira dirigindo vídeos artísticos. Seus resultados tornaram-se então incrivelmente conhecidos, levando-o a conduzir grandes recursos (Trinta e Dois Curta-metragens sobre Glenn Gould, The Red Violin, Silk). Teatro, novelas e agora o Cirque du soleil também faz parte desta lista. "Assim como o Circo, gosto de misturar as mídias, mas o meu trabalho permanece essencialmente o mesmo: Eu tento convencer os artistas quanto a uma certa idéia e depois apresento os resultados ao público."

Como diretor de palco, François vem trabalhando na criação de um show residente a ser apresentado em Tóquio e lançado no final de 2008.

  • François Girard
  • Montreal
  • Diretor de Palco e Filmagem
Qual a abordagem com a qual os atores trabalham nos projetos do Circo?
Seja no Cirque du soleil ou em qualquer outro lugar, minha abordagem é sempre a mesma: Eu me pergunto quem são eles, como eles trabalham e o que os estimulam. Mas o método é difere com relação a cada artista, cada cantor, e por aí vai. É o diretor de palco que precisa se adaptar ao artista, e não o contrário.

Qual o aspecto mais interessante de se trabalhar com atores que trazem experiências de vida diferentes e que têm diferentes etnias? Quais são os desafios?
Estou acostumado a trabalhar com artistas de todos os lugares. Eu acho fascinante ver as diferentes formas de como uma pessoa consegue aprender algo, absorvendo tantos métodos e influências diferentes. Quanto a isso, sinto que estou bem preparado para uma produção do Circo.

Como vc poderia descrever a sua filosofia criativa?
Eu gosto de começar com uma idéia, um texto, ou um personagem que eu mesmo interprete. Tento ser um jardineiro plantando uma semente e ajudando-a a crescer com água e luz. Posso fazer com que a semente vire uma árvore, mas não posso decidir qual árvore será. Todo o mistério da semente. Tudo o que você precisa fazer é cavar um pouco antes, para que se possa ver a luz. É assim...

De que forma você vê o papel desempenhado pelos atores e o papel de se atuar no Cirque du soleil?
O maior sucesso do Circo pode ser atribuído à combinação da acrobacia e da dramaturgia. Quem são os atores? Quem são os acrobatas? Qual a contribuição deles? No meu show, eu tento “Marcar” essa linha o máximo possível, para não sabermos quem é quem e quem contribui com o quê. Essa lição eu aprendi com os shows de Franco Dragone.

O que você considera ser o maior estímulo ao trabalhar em colaboração com o Cirque du soleil?
O senso de celebração; a expectativa do público por uma aventura mágica; trabalhar no Japão, um país que amo, no meio de uma cultura que eu considero a mais estimulante.