Cirque du Soleil
Fechar
 
 

Sala de imprensa

 

Material para a imprensa

O Cirque du Soleil oferece kits para a imprensa de vários espetáculos e informações sobre a empresa.

Cirque du Soleil

Tudo começou em Baie-Saint-Paul, uma pequena cidade próxima a Quebec City, no Canadá. Ali, no início dos anos 80, um grupo de personagens coloridos perambulava pelas ruas, caminhando sobre pernas-de-pau, fazendo malabarismos, dançando, engolindo fogo e tocando músicas. Eles eram os Les Échassiers de Baie-Saint-Paul (os Equilibristas de pernas-de-pau de Baie-Saint-Paul), um grupo teatral fundado por Gilles Ste-Croix. Os habitantes da cidade ficaram impressionados e fascinados com os jovens artistas, incluindo Guy Laliberté, que, mais tarde, fundaria o Cirque du Soleil e ali atuaria como CEO.

 
 
 

Biografia

Michel Crête

Cenógrafo

De 1990 a 1998, os cenários para todas as produções do Cirque du Soleil nasceram da imaginação de Michel Crête: Ele foi o responsável pela cenografia de Nouvelle Expérience, Fascination, Saltimbanco, Mystère, Alegría, Quidam, "O" e La Nouba. Ele participou também da criação das três salas que abrigam espetáculos do Cirque du Soleil em Las Vegas e em Orlando. Em 1998, Michel Crête recebeu o prêmio Entertainment Design "Production of the Year" pelo espetáculo "O".

Michel Crête ingressou no Cirque du Soleil em 1986 como figurinista para o espetáculo We Reinvent the Circus. Suas criações neste espetáculo, que também foi gravado para a televisão, conferiram-lhe um Gémeaux e um Gemini (prêmios que reconhecem o trabalho de artesãos da TV no Canadá) por melhor figurino para um show de variedades.

Após se formar no Programa de Cenografia da Escola Nacional de Teatro do Canadá em 1984, Michel Crête rapidamente tornou-se um dos cenógrafos mais requisitados de Montreal. Entre 1985 e 1991, ele criou figurinos e cenários para cerca de quarenta peças, trabalhando com diretores aclamados e artistas em ascensão nos bastidores dramáticos de Quebec. Por três vezes consecutivas, de 1989 a 1991, o Théâtre du Nouveau Monde de Montreal concedeu a Crête seu Prix Gascon-Roux por melhor cenário criado.

Em 2001, ele projetou a grande tenda e criou o cenário para Cheval, uma produção da companhia Cheval-Théâtre fundada por Gilles Ste-Croix.