Cirque du Soleil
Fechar
 
 

Sala de imprensa

 

Material para a imprensa

O Cirque du Soleil oferece kits para a imprensa de vários espetáculos e informações sobre a empresa.

Cirque du Soleil

Tudo começou em Baie-Saint-Paul, uma pequena cidade próxima a Quebec City, no Canadá. Ali, no início dos anos 80, um grupo de personagens coloridos perambulava pelas ruas, caminhando sobre pernas-de-pau, fazendo malabarismos, dançando, engolindo fogo e tocando músicas. Eles eram os Les Échassiers de Baie-Saint-Paul (os Equilibristas de pernas-de-pau de Baie-Saint-Paul), um grupo teatral fundado por Gilles Ste-Croix. Os habitantes da cidade ficaram impressionados e fascinados com os jovens artistas, incluindo Guy Laliberté, que, mais tarde, fundaria o Cirque du Soleil e ali atuaria como CEO.

 
 
 

Biografia

Philippe Leduc

Compositor e diretor musical

Compositor, arranjador e condutor, Philippe Leduc se descreve como uma pessoa viciada em trabalho, feito mais que confirmado por sua imensa quantidade de obras. Suas composições e arranjos tornaram-se literalmente parte da trilha sonora da vida cotidiana de Quebec desde o início da década de 1980.

Philippe graduou-se em música pela Université de Montréal e foi responsável pela composição do tema de abertura do jornal televisivo da rede Radio-Canada e a música de tema para vários aclamados programas de TV, como a produção Solstrom do Cirque du Soleil.

Philippe é procurado para compor jingles de propaganda para uma grande quantidade de clientes nacionais e internacionais. Mas, mesmo trabalhando muito para clientes comerciais, nunca deixou de lado suas composições pessoais.

Philippe, que compôs a trilha para a série de TV Solstrom, do Cirque du Soleil, descreve suas produções orquestrais para o Corteo como "uma música muito visceral" , mas é enfático ao afirmar que também há várias passagens etéreas e momentos apaixonantes.

"Comecei pelo lado mais físico", diz. "Há uma relação entre os movimentos do acrobata e a trilha sonora. A música tem um estilo voltado para a ópera, de um modo mais amplo. Minha intenção é expandir o espectro musical no Cirque."

Philippe considera o Corteo um espetáculo repleto de contrastes e gêneros musicais, de solos de guitarra até a presença da orquestra. "O final é muito belo", adianta, "mas é divertido durante toda a apresentação. A todo momento, há surpresas e risadas. Há influências medievais com instrumentos antigos, com elementos musicais da década de 1930, mas a trilha sonora é bastante atual."

Pela primeira vez no Cirque du Soleil, a música trará boas pitadas de improviso, com "duelos" entre um incrível violinista e um hábil sanfoneiro, completamente diferente a cada apresentação.

Philippe Leduc nasceu em Montreal.