Cirque du Soleil
Fechar
 
 

Sala de imprensa

 

Material para a imprensa

O Cirque du Soleil oferece kits para a imprensa de vários espetáculos e informações sobre a empresa.

Cirque du Soleil

Tudo começou em Baie-Saint-Paul, uma pequena cidade próxima a Quebec City, no Canadá. Ali, no início dos anos 80, um grupo de personagens coloridos perambulava pelas ruas, caminhando sobre pernas-de-pau, fazendo malabarismos, dançando, engolindo fogo e tocando músicas. Eles eram os Les Échassiers de Baie-Saint-Paul (os Equilibristas de pernas-de-pau de Baie-Saint-Paul), um grupo teatral fundado por Gilles Ste-Croix. Os habitantes da cidade ficaram impressionados e fascinados com os jovens artistas, incluindo Guy Laliberté, que, mais tarde, fundaria o Cirque du Soleil e ali atuaria como CEO.

 
 
 

Biografia

Jaque Paquin

Desenho de Rigging

Em Varekai, Jaque Paquin teve responsabilidade dupla: a concepção de todo o equipamento acrobático utilizado no espectáculo e a adequação e instalação de todos os mecanismos de elevação nos equipamentos cenográficos (som, luz, cenários e equipamento acrobático).

Jaque Paquin trabalha para o Cirque du Soleil desde 1990. Inicialmente contratado como Chefe da Oficina de Construção, depressa foi responsabilizado pela concepção dos ambiente aéreos de Saltimbanco, “O”, Dralion, Zumanity e KÀ. Também participou na adaptação do espectáculo de digressão Nouvelle Expérience para apresentações no Mirage, em Las Vegas. Entre1991 e 1996, foi Director Técnico e Produtor da digressão norte-americana de Saltimbanco e Director Técnico das digressões deste pela Europa e Japão. Em 1995 e 1996, foi director de operações no Festival Internacional de Jazz de Montreal e no FrancoFolies de Montréal.

Jaque Paquin iniciou a sua carreira artística como técnico de luz, aos 14 anos de idade. Um ano depois abriu uma discoteca. Foi fazendo biscates como técnico de palco num teatro, pintor de cenários cinematográficos, trabalhou na televisão e, finalmente, como carpinteiro, líder de equipa e chefe de projecto num workshop de construção de cenários para teatro e espectáculos de variedade. Estudou História de Arte, com especialização em cinema, e electrónica. “Trabalhei em quase todas as áreas em que aqueles que constroem e operam os meus equipamentos trabalham. Deste modo, posso fazer o esforço de facilitar o trabalho dos técnicos e artistas.”, explica.